Mundo Ela

Leão, orgulho de ser quem sou

Leão

Foto: Pixabay

“Eu sou de Leão!”

Quem nunca viu um leonino estufar o peito e ‘rugir’ forte essa frase?

Fica a pergunta: de onde vem todo esse orgulho, será que tem algum fundamento?

Então, não conta pra eles, mas tem sim!

Para início de conversa, Leão é regido pelo astro rei, o Sol, o centro do nosso sistema solar, aquele entorno do qual os planetas giram continuamente. A magnânima estrela que, com sua luz própria, fornece luz e calor, possibilitando a existência de vida na Terra.

Isso não é pouca coisa!

Todos nós temos o Sol e também o signo de Leão em nosso Mapa Natal. O que nos difere uns dos outros é onde eles se encontram e como estão posicionados.

O Sol se refere à nossa identidade, nossa essência única e a consciência de sermos quem somos. A relevância disso faz com que o Sol seja conhecido até pelo mais leigo e desinteressado pela Astrologia, pois, todo mundo sabe qual é seu signo solar. Nada é coincidência, isso revela o quanto o Sol é aparente e relevante em nosso Mapa Astral. Como bem dito por Djavan, “o Sol brilha por si.”

Sendo ele o regente de Leão, quando o Sol está posicionado neste signo, ele encontra-se em casa, no chamado domicílio, Assim, a características solares se manifestam em plenitude, tanto em luz quanto sombra.

O signo de Leão compõe a tríade dos signos de fogo. Ele possui modalidade fixa, pois, assim como o Sol, sua chama é constante e duradoura, e sua polaridade é masculina, Yang.

Regidos pelo coração, os leoninos têm uma postura bem peculiar. Ou eles o mostram orgulhosamente, estufando o peito tipo galo de briga, ou eles o escondem, desenvolvendo uma certa corcunda na coluna. De qualquer forma que seja, ali tem um coração quente e que bate muito forte!

O 5º signo do zodíaco aparece logo após o momento de introspecção e sentimento de segurança proporcionado pelo lar, experienciados em Câncer. Quando chegamos em Leão, nos reconhecemos para além de um ser integrante de uma família, nos vemos enquanto seres individuais.

Podemos fazer a analogia desse momento à adolescência. Quando estamos cheios de energia, vitalidade e muita sede de diversão! Queremos sair e nos mostrar, nos firmar enquanto indivíduos, mostrar o quanto somos lindos e legais, manifestando toda nossa vaidade e autoafirmação.

Além disso, buscamos uns roles, beijo na boca, flertes, ficadas, namoricos e tals.. Estamos apaixonados pela vida e pelos crushes. Esse é um período de farras e festas. Estamos a um pé de sermos adultos, mas ainda, com aquela criança interior que quer pura e simplesmente brincar, ser feliz, rir! Estamos dispostos a correr riscos e assim, Leão também é o signo dos jogos de azar.

Leão é um signo de alegria, alto astral, ligado nas novidades e no que tá rolando.

Ao observarmos o comportamento do animal leão em seu habitat, vemos que ele está no topo da cadeia alimentar, é territorialista e extremamente social. Da mesma forma, esse signo é um arquétipo de dominância e sociabilidade, que não lida bem com a solidão. Pois, tamanho magnetismo e luz perde o sentido se não tiver uma plateia.

Tanta energia de atração tem seu lado maléfico se não for bem trabalhado. Primeiro que, ser requisitado de maneira a “ter que dar conta de tudo” e a obrigação de ser indestrutível podem ser bem sufocantes. Vejamos:

A constelação de Leão veio, ao olhar da Mitologia, em homenagem à fera derrotada por Hércules, o Leão de Neméia.

O Leão de Neméia, na Mitologia Grega, foi uma fera que aterrorizou o povo de uma região da Argólida, na Grécia, que devorava homens e emanava temor com seu poderoso rugido. Possuindo uma pele de um couro impenetrável, ele era indestrutível por homens comuns. O primeiro, dos doze trabalhos do semideus Hércules, foi derrotar o Leão de Neméia. Hércules teve suas tentativas de combatê-lo com suas flechas fracassadas e os dois lutaram bravamente sem sucesso para ambos os lados. Até que Hércules acertou o Leão na cabeça, com sua cava, deixando o animal desacordado. Ao perceber que ele estava ofegante, Hércules encontrou seu ponto vulnerável e matou a fera sufocando-a, com o golpe que conhecemos hoje como ‘mata-leão’.

Hércules, então, usou as garras do próprio animal para arrancar sua pele com o objetivo de usá-la como armadura e o crânio como capacete; mostrando, assim, a função protetora leonina, de deixar nosso eu inabalável. Essa história, ao mesmo tempo, nos lembra do quanto podemos nos sufocar quando nos colocamos como seres indestrutíveis e invulneráveis, nos forçando a ser fortes o tempo todo, ao nos colocarmos no lugar do Leão.

O que Leão tem a aprender com o mundo?

Sendo ele o signo da identidade, ele trata das questões de como nos relacionamos com nós mesmos. Para tanto, é necessária uma consciência plena, que seja capaz de proporcionar o encontro com si mesmo, sem máscaras nem filtros. Sendo assim, escapismos, de qualquer natureza que seja, ou mesmo exagerar na dose de querer ser único, por achar que está acima ou abaixo dos outros, podem ser armadilhas de autodestruição para a energia leonina, uma vez que, estando no topo da cadeia alimentar, seu único inimigo é ele mesmo.

Do mesmo modo, se um leonino não identifica seu lugar no mundo e não entende sua real importância, aquela pela qual o faz subir ao palco, ele pode desenvolver graves problemas de autoestima, tanto pela falta quanto pelo excesso.

Quando o desequilíbrio ocorre pelo excesso, ele mesmo tira seu reinado natural e o transforma em um ser tirano, arrogante e sincericida, por acreditar que sua verdade é a única. Pois “Narciso acha feio o que não é espelho.” Já por falta de autoestima, ele vira um Leão juba curta brigão e militante sem causa.

Com isso, aprendemos que devemos aceitar as pessoas como elas são. Para tanto, Leão encontra equilíbrio em seu oposto complementar Aquário, o qual lida com os interesses coletivos e do bem estar das tribos e grupos, sem dramas e de maneira totalmente objetiva.

O que Leão tem a oferecer ao mundo?

Paixão!

Leão é a manifestação do nosso ser. Onde entregamos nosso coração. Toda aquela energia pioneira vista em Áries, se manifesta em Leão. Ele trata das artes no sentido do que deixamos para o mundo; pelo o que vale a pena nos expor e dar a cara a tapas. É o Deus Sol, Apolo, que não tem polo, indivisível, inteiramente entregue às artes e ao seu legado.

É, também, o legado no sentido dos filhos que criamos, livros que escrevemos, personagens que interpretamos no tablado, quadros que pintamos e árvores que plantamos. É a diferença que fazemos no mundo e a fidelidade no que nos propomos a quem nos dedicamos.

Leão nos ensina que brilhar é ser bom para si antes de tudo. Pois, só podemos salvar alguém quando estamos bem. É amar a vida e amar estar vivo!

É o primeiro amor, o qual deve ser o próprio.

Por Erika Roldão
@astraldosplanetas

Não deixe de ler também:

Para onde brasileiros já podem viajar?

As mulheres estão fazendo história em Tóquio

Cuidados com a pele no inverno | Confira as dicas!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Astrologia

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo Grochowski

amei♥️