Mundo Ela

A família

Familia

Foto: Reprodução Pinterest

Na toca, na oca, na casa, no apartamento, até na falta do teto esse grupo de pessoas se mantem junto. Porque um é o abrigo do outro. Família é isso: o aconchego de um é o outro.

Não importa onde, se embaixo de um teto chiquérrimo, ou debaixo de pau-a-pique ou papelão. O afeto é o teto que realmente cobre cada um de nós quando nos encontramos em família.

Sentir-se seguro, rir, chorar, corrigir e ser corrigido, compartilhar. Falar e ouvir. A família é um lugar terapêutico.

Desde o velho testamento: “ensina a criança o caminho em que deve andar…” e “honra teu pai e tua mãe…”

Desde a antiguidade de muitos mil anos, a família é sagrada. Até nos nossos dias digitais de isolamento. Nos isolamos dos “outros”, mas mantemos a proximidade real ou virtual com os nossos familiares.

Nem sempre com laços de sangue, mas sempre com laços de amor que grudam inseparavelmente uma pessoa na outra por toda a vida. A família é esse lugar, seja ele onde for, em que crescemos seguros.

Crescemos sempre, até quando nossa estatura está diminuindo pelo desgaste dos ossos, como as acontece com as vovós… em família estamos sempre crescendo pela chegada dos netos, dos sobrinhos, de novos amores eternos…

Em qualquer lugar desse mundo, de qualquer cor de pele, de qualquer raça, de qualquer nação. Abrigado ou refugiado. No palácio ou na favela. Com fartura ou com fome. É na família que descansamos a alma. É para ela que desejamos voltar. É por ela que insistimos em prosseguir.

Sozinho é mais difícil, tem menos cores… sem pai, sem mãe, sem filhos, sem primos, sem sobrinho, a vida é muito mais difícil. Famílias tóxicas, quando um não entende que é o teto, o abrigo do outro, e ao invés de protege-lo, expõe, maltrata… acaba provocando feridas na alma, que às vezes uma vida inteira, não consegue tirar.

Ter e ser família é uma responsabilidade. É se sentir responsável pelos seus. Ajudar e ser ajudado. É Muitas vezes prevalecer a vontade dos filhos ou dos pais à sua vontade. Nem sempre é fácil, mas no fim, vale a pena.

Dra Fernanda Santos
@drafernanda.santos

Leia também:


Ressignificar a feminilidade após o puerpério

Primeiras Damas: À frente, ao lado ou por trás deles, ELAS estão lá…

Receitinha da nutri: cookie de pasta de amendoim


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Categorias:
Inspiração