Mundo Ela

Consumo de álcool na adolescência

Foto de Kindel Media no Pexels

No texto dessa semana, gostaria de trazer a vocês, leitoras do Mundo Ela um tema delicado, mas de fundamental importância para ser tratado: o consumo de álcool na adolescência.

O álcool é uma droga psicotrópica legalizada e a mais utilizada por jovens em todo o mundo e acaba sendo a porta de entrada para o consumo de outras drogas ilícitas e do tabaco.

Por ser uma fase de inúmeras transformações físicas, emocionais e psicológicas, o adolescente quer viver e experimentar novas experiências e quer também se sentir aceito por outros grupos que não sejam do ambiente familiar. E dentro dessas descobertas está a ingestão de bebidas alcoólicas.

Elas têm ação em nosso Sistema Nervoso Central e diminuem as funções cerebrais. No caso do jovem, o consumo pode trazer prejuízos imediatos, como acidentes de trânsito, armas de fogo ou traumatismos, queda no rendimento escolar, irritabilidade, agressividade, sexo sem a devida proteção, além de conflitos com pais e amigos. Pensando no que isso pode acarretar ao longo dos anos, um adolescente que faz uso da bebida alcoólica tem muito mais risco de se tornar um adulto que bebe em excesso.

Uma das formas mais efetivas para se conseguir controlar o consumo e principalmente o limite de uso de bebidas alcoólicas está no diálogo entre pais/e ou responsáveis e filhos.

Diferente do que muitos pensam, nunca é cedo demais para falar sobre o assunto. Mas para isso, é importante ter ciência de quais os efeitos físicos e psicológicos da substância no corpo, sobre a quantidade ingerida, a forma e velocidade em que se bebe, além de levar em consideração gênero, estatura e quilos. É através do conhecimento dos pais que será possível explicar sobre o que o álcool pode fazer no organismo e assim se torna mais fácil dos filhos entenderem a dimensão dos estragos à saúde e aos que estão à sua volta.

Mas mais que saber das consequências, pais devem estabelecer uma relação de confiança, interesse pelo outro, respeito e amor.

Além de um ambiente harmônico dar menos chances de o adolescente buscar esse tipo de comportamento na rua, caso isso ocorra, o jovem terá muito mais liberdade de falar sobre o que está acontecendo com ele.

Estabeleça regras, imponha limites com amor e, principalmente, seja você o exemplo no qual ele irá se espelhar.


Por Dra Jaqueline Bifano
@dra.jaquelinebifano

Gostou? Então veja abaixo outras matérias escritas pela Dra Jaqueline Bifano pra o site Mundo Ela:

Autoestima e adolescência

Aborrescência, saiba como lidar com ela!

TDHA na Adolescência

Consumo de álcool na adolescência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Saúde e Cuidados
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments