Mundo Ela

A importância da representatividade da mulher na política

Mulher na política

Imagem retirada do site da ALESP

Não há dúvidas de que a presença da mulher na política brasileira é pequena

O Brasil, mesmo após quase 90 anos da conquista do voto feminino, ainda se encontra entre os piores países do mundo quando o assunto é a participação de mulheres em cargos eletivos.

Não há dúvidas de que a presença da mulher na política brasileira é pequena diante de sua enorme presença na vida econômica e social do país, principalmente nos últimos anos.

Culturalmente, nós mulheres fomos estimuladas a ocupar os espaços privados, como fazer as tarefas domésticas e cuidar dos filhos, enquanto os espaços públicos eram destinados aos homens.

Sabemos que essa desigualdade ainda persiste em alguns casos, por isso, termos mulheres como agentes políticas é uma forma de normalizar a presença das mulheres nos ambientes sociais, bem como de aumentar a visibilidade de toda a sociedade para os problemas e questões que envolvam as nossas vidas.

Nós mulheres estamos em uma luta constante, buscando nosso espaço. Então porque não estar presente na política? A Política tem o poder de transformar e de validar a luta não apenas de uma, mas de todas as mulheres.

Com isso, uma pergunta vem à tona: ter mulheres em cargos políticos é importante?

Afirmo que sim, pois essa ferramenta possibilita a nossa voz seja ouvida, que a nossa luta constante pela igualdade de direitos siga em frente com mais veemência, já que, apesar de todas as evoluções que já ocorreram em nossa sociedade, ainda estamos inseridas em um contexto permeado por preconceitos, violência e exclusão.

Nós mulheres parlamentares, além de lutarmos por toda sociedade como “mães”, buscamos cada dia mais, através de projetos de lei e votações em plenário, que os nossos direitos não sejam violados, para que sejamos respeitadas e ouvidas, bem como para que possamos ocupar mais espaços nas decisões que irão moldar a nossa sociedade.

Mesmo que de forma tímida acredito que a sociedade começa a se mobilizar de maneira organizada para mudar essa injusta situação através de vários movimentos nacionais de conscientização dessa importância.

Representamos 52% do eleitorado brasileiro, mas nas eleições de 2020, o número de vereadoras eleitas em todo Brasil representa apenas 16% do total de cargos preenchidos, sendo que apenas 9 mulheres foram eleitas para o cargo de Prefeitas nas 96 maiores cidades do país.

Para mudarmos essa realidade, nós, mulheres, devemos nos unir, devemos utilizar de nossa força, como maioria, para guiar e melhorar a vida de todas.

A luta por esse crescimento de representatividade não pode parar, precisa ser diária, pois a participação política continua sendo o principal fundamento da vida democrática, e o instrumento de busca e ações para a ampliação dos direitos de cidadania.

COLUNISTA CAROL CANABRAVA
@carolcanabrava

Leia também:

Portas em automático! Conheça o novo perfil do viajante

Análise aponta em quais transportes o público feminino mais sofre assédio

Saiba os cuidados ao baixar e acessar o aplicativo CAIXA TEM para receber o auxílio emergencial

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
ColunistasÚltimas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments