Mundo Ela

A importância de se discutir a masculinidade no combate à violência doméstica

Foto de Anete Lusina no Pexels

Combate à violência doméstica: Em outubro de 2021 se forma a primeira turma de homens agressores em curso de educação de valorização à mulher e reeducação para homens agressores em Manhuaçu, leste de Minas.

“Diálogos Sobre Masculinidades” foi o nome dado ao grupo de reeducação e conscientização para homens autores de violência doméstica que possuem inquérito policial, medida protetiva ou processo criminal em curso.

Criado pela escrivã de Polícia Civil, Ana Rosa Campos e pelas psicólogas, Raiane Ferreira Coelho e Sara Alves de Assis, sob a supervisão da Delegada Adline Ribeiro, da DEAM de Manhuaçu, e do Delegado Regional Felipe de Ornelas Caldas.

Ana Rosa Campos, escrivã de Polícia Civil

O grupo tem como objetivo possibilitar que esses autores da violência doméstica repensem suas atitudes, desconstruam padrões aprendidos de masculinidade tóxica, reflitam sobre os temas de cada encontro e, através das informações transmitidas e experiências vivenciadas no grupo, ainda transformem seu comportamento.

Atualmente, 2 grupos estão em andamento e cada um é mediado por uma das psicólogas citadas acima.

A Delegacia Regional de Manhuaçu firmou parceria com a faculdade de psicologia da Univértix de Matipó para trabalho em conjunto. Coordenado com alunos/estagiários e professores, todos participando ativamento do projeto.

Os encontros acontecem semanalmente. Têm duração de 2h e, ao todo, ocorrerão 10 encontros com temas distintos como: masculinidades e consequência das violências; tipos de violência e responsabilização; equidade de gênero e a Lei Maria da Penha; aspectos emocionais e saúde mental; álcool e outras drogas; relações familiares e paternidades; entre outros.

Apesar do “Diálogos Sobre Masculinidades” ser o primeiro grupo de reeducação e conscientização para homens autores de violência doméstica em nossa região, outros grupos reflexivos com proposta semelhante já vêm sendo aplicados em alguns estados e países, e apresentam resultados que demonstram sua eficácia para prevenir e combater a violência doméstica e, principalmente, reduzir sua reincidência.

O delegado Ornelas enfatiza que “já tínhamos outros projetos voltados para atendimento à mulher vítima.

Delegado Felipe de Ornelas Caldas.

Mas, faltava tratarmos do homem agressor, com suas doenças morais, traumas de infância, dependência química e machismo enraízado no seu subconsciente, fruto de sua criação, ambiente familiar de não valorização/subjugação da mulher.

Pois bem. Diálogos de masculinidades veio para quebrar o ciclo de violência tratando desse problema social sob um prisma pouco explorado”.

Que esses projetos se espalhem por todo o Brasil para que possamos ver, ainda mais, avanços no combate a violência contra a mulher.

Para quem tiver interesse em conhecer mais o projeto é só procura-lo no Instagram https://www.instagram.com/chameafrida/

E lembre-se: a culpa nunca é da vítima! Então, se você sofre ou conhece alguém que esteja sofrendo violência doméstica: denuncie!

Por Rizzia Froes
@rizziafroes

Gostou desse texto sobre o combate à violência doméstica?

Leia Também:

https://mundoela.uai.com.br/inspiracao/uma-manha-de-esperanca-com-o-padre-julio-lancellotti/

https://mundoela.uai.com.br/ultimas/kamala-encarnacao-da-diversidade/

https://mundoela.uai.com.br/ultimas/contratacao-temporaria/

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Últimas

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
SIMONE FERNANDES LEITE

Excelente trabalho desenvolvido pela Polícia Civil de Manhuaçu. Parabéns aos envolvidos!

rizzia

Que esse trabalho se espalhe por todo o Brasil. Um abraço, Simone!