Mundo Ela

A mulher e a lágrima

A mulher e a lágrima

Foto: iStock

As lágrimas são quase um sinônimo de feminilidade. Oh coisa de mulher, é se expressar com lágrimas! Mas a relação das mulheres com a lágrima vai muito além do choro.

Fico imaginando uma mulher conversando com a sua lágrima…

Só lembrando que as lágrimas são trabalhadoras incessantes, sempre limpando, protegendo e cuidando dos nossos olhos, dia após dia. Qualquer semelhança com mulheres em geral, não é mera coincidência.

Eu imagino a lágrima dizendo:

-Eu limpo esse olho o dia inteiro e ninguém me dá valor! Só lembram de mim quando eu deságuo no choro…

Deu até para imaginar a mãe dizendo isso para o filho adolescente, com o quarto bagunçado…

Pois é…

A lágrima continua a dizer:

– Eu protejo esse olho de cisco, de poeira, até de bactérias e vírus. Quando ele adoece, eu sou uma das primeiras a dar o sinal de alerta. E nem assim me dão valor. Parece que sou invisível, que nem existo. Então, eu deságuo no choro. Afinal, também quero ser notada. Choro mesmo, querendo você ou não. Principalmente quando não.

Parece de novo a mãe dizendo todas essas coisas, para um filho meio displicente, não é mesmo?

Então, imagine a mulher falando para a lágrima:

– Querida lágrima, tantas vezes você me constrange, delatando meus sentimentos, sem que eu queira. Você gosta de me envergonhar?

A lágrima então responde:

– Te envergonhar? Que absurdo! Você só pensa em você, e nem me nota. Eu limpo esse seu olho remelento o tempo todo, e você não percebe. Eu hidrato seu olho para você piscar macio. E o que você faz? Enche minha vizinhança de maquiagem, sujando tudo no olho ainda mais e dificultando o meu trabalho… E quando eu deságuo chorando, você diz que sente vergonha de mim? Quero ver o dia em que eu secar… parar de limpar e cuidar dos seus olhos. Aí quero ver o que você vai fazer!

A mulher responde pensativa:

– Não imagino que seja tão ruim assim ficar sem chorar! Acho que vai até facilitar meus relacionamentos…

– O que ?! – Respondeu a lágrima indignada. – Vou embora desse olho agora! – Disse já evaporando… – Fui!

E antes que a mulher tivesse tempo de se arrepender, ela começou a sentir uma coisa estranha:

– Nossa. – Disse a mulher esfregando os olhos – Meus olhos estão ardendo tanto… que estranho, nunca senti isso antes.

Passado um pouco mais de tempo, a mulher observou que não estava tolerando bem a luz, seus olhos estavam com uma sensação de areia. Foi correndo ao espelho. Olhou seus olhos. Eles estavam vermelhos como o fogo, ardendo e queimando. E pior: cheios de secreção, uma remela grossa.

Então, numa mistura de revolta e medo disse:

– O que está acontecendo comigo? Até parece praga daquela lágrima chorona!

A lágrima, que ainda não estava longe, respondeu:

– Praga não, querida, consequência! Vive sem mim, quero ver…

A mulher já estava cheia de vontade de chorar, meio desesperada, com os olhos doendo, mas não chorava. Ao invés dos olhos molhados, que ela tanto reclamou, agora seus olhos eram como o fogo.

Então, como um filho pródigo arrependido, a mulher disse:

– Dona lágrima, me desculpe, não tinha ideia de como você era importante para mim. Nunca imaginei que, sem você, meus olhos não funcionariam direito. Para falar a verdade, nunca imaginei que precisava tanto dos meus olhos. Volta, por favor!

A lágrima então, sentindo-se valorizada, como acontece nas reconciliações dos relacionamentos turbulentos, logo disse:

– Sim, volto! Mas que nunca se esqueça de como sou importante para você!

– Claro! – Respondeu a mulher! – Nesse momento, você é tudo para mim!

E assim reiniciaram sua história de choro e alegrias…

Mas, no nosso mundo real, quando a lágrima para ou diminui de trabalhar, nossos olhos podem adoecer severamente. E não basta pedir para ela voltar…

Se você já sente ardência, desconforto, sensação de areia com frequência em seus olhos, sensibilidade exagerada à luz, às vezes, até lacrimejamento, fique atento! O olho seco precisa de cuidados especiais.

E acredite, o olho seco é três vezes mais frequente em mulheres, especialmente após a menopausa, devido à influência hormonal na produção lacrimal.

Medidas simples, como parar a leitura periodicamente para piscar, podem ajudar a liberar mais lágrima.

Alimentos ricos em ômega 3 e 6 também podem auxiliar na prevenção do olho seco. Além disso, tratamento com colírios e pomadas oftalmológicas, podem ser úteis.

E lembre-se: fazer o acompanhamento oftalmológico adequado é muito importante para as pessoas que apresentam o olho seco.

Por Dra Fernanda Santos
@drafernanda.santos

Leia também:

Olimpíadas de Tóquio | Mulheres quebram barreiras e represetam quase metade dos atletas

São Paulo tem praia boa?

Faça isso todos os dias e conquiste seus sonhos!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Últimas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments