Mundo Ela

Bancos digitais: saiba os seus direitos em caso de fraude

Bancos digitais

https://unsplash.com/s/photos/money-brasileiro

Nos últimos anos, o avanço do mundo digital foi responsável por diversas mudanças e evoluções que influenciaram os segmentos comerciais. Um dos casos que mais chama atenção é dos bancos digitais. Com promessas de taxas e juros inferiores aos bancos tradicionais, passaram a ganhar cada vez mais consumidores, de diversas classes sociais e idades, principalmente os jovens.

Entretanto, esse novo modelo de serviço bancário atraiu o olhar de pessoas má intencionadas que passaram a criar novos tipos de golpes, diferentes daqueles comuns ocorridos nos bancos tradicionais, como exemplo o “chupa cabra”, dispositivo colocado nos caixas eletrônico que coletava os dados para posterior prática de um golpe.

Diante da facilidade de criação de contas digitais, uma das fraudes mais comuns é obtenção de créditos e de empréstimos a partir da criação de contas bancárias digitais com dados ou documentos perdidos das pessoas. Com a realização das operações de crédito, por terceiros, o consumidor é negativado e recebe cobranças de contratos e compras que jamais teve ciência, ficando desesperado e sem saída.

O advogado Pedro Galinari explica o que fazer em casos de ter sido vítima de golpes nos bancos digitais. “A saída está no direito do consumidor que determina que as empresas devem se atentar em garantir segurança na prestação de seus serviços, sendo responsabilizadas por qualquer prejuízo causado ao mundo consumerista”, disse.

“Embora, nesses casos, os bancos também tenham sido uma das vítimas da fraude, eles são responsáveis pela garantia da segurança do consumidor e por eventuais prejuízos financeiros ou morais para os consumidores”, salienta Galinari que lembra que esse é o entendimento majoritário dos tribunais, principalmente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Em trechos de decisão judicial sobre o tema, o desembargador Estevão Lucchesi, diz: “O Banco que oferece comodidades para atrair consumidores, tais como cartões magnéticos, caixas rápidos e, inclusive, contas digitais, tem pleno conhecimento dos riscos que decorrem de sua atividade e deve, da mesma forma, criar sistemas que garantam a segurança de seus clientes”.[1]

Portanto, é importante que os consumidores dos bancos digitais se atentem em cuidar da segurança de seus dados pessoais e, na eventualidade de perderem documentos ou serem vítimas de furtos, devem procurar imediatamente uma autoridade policial para registrar boletim de ocorrência para garantir seus direitos caso seja vítima desse tipo de fraude.

O Dr. Galinari ressalta ainda a importância de buscar seus direitos em caso de fraude. “Seja por meio de um advogado de confiança ou através da defensoria pública, o importante é alertar sobre o que pode ser feito para resguardar o consumidor que teve seus direitos lesados”, finaliza.


[1] Apelação Cível 1.0000.20.589935-4/001, Relator Desembargador Estevão Lucchesi, 14ª Câmara Cível, julgamento em 18/02/0021, publicação em 23/02/2021

RAFAEL ANGELI
@angelibh

Leia também:

Cresce número de mulheres em startups, diz pesquisa

Veja as práticas que danificam o cabelo

Madre Teresa de Calcutá: conheça sua história

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
ColunistasÚltimas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments