Mundo Ela

Brasil tem o terceiro maior mercado mundial de pets

  • por em 16 de março de 2021
Mercado Pet

Mesmo na pandemia, o mercado pet gera novas oportunidades e movimenta bilhões de reais no país

Ter um animal de estimação é ter uma companhia, um amigo para todas as horas. Não é à toa que os cães, por exemplo, são considerados os melhores amigos do homem.

Pensando em uma companhia, os brasileiros estão cada vez mais trazendo bichinhos para casa, dando espaço, conforto e carinho. Isso reflete nos dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet): o Brasil tem o terceiro maior mercado mundial de pets, com participação de 5,1%, ficando atrás somente do Reino Unido e Estados Unidos.

Mesmo na pandemia, o carinho e cuidado com os animais gera novas oportunidades no mercado e movimenta bilhões de reais no País. Isso porque, agora, os bichinhos são tratados como se fossem da família, merecendo todos os cuidados.

Direito a passeios especiais, acessórios, produtos de higiene, hotéis, cardápios elaborados, brinquedos e salão de beleza são alguns dos mimos que os pais de pet andam dando aos seus “filhos”. O comércio varejista está apostando no mercado pet, pois é algo que está crescendo a cada dia e que fatura muito dinheiro.

Além do banho e tosa, há também as creches de animais, pet walkers (profissional contratado para andar com os bichanos) e adestradores, que são pontos explorados no novo mercado, fortalecendo a indústria do setor e estimulando a abertura de novos pontos de venda.

Há quem prefira ter filhos de quatro patas, como cães e gatos. De acordo com dados do IBGE de 2016, havia mais de 50 milhões de cães e 22 milhões de gatos no Brasil. Por isso, o mercado pet é uma grande tendência a ser explorada e investida.

Na quarentena, por conta da pandemia do coronavírus, a adoção de cães e gatos cresceu. Isso porque, com o isolamento social, muitas pessoas se sentiram solitárias e precisaram de uma companhia.

ONGs e protetores de animais afirmam que a procura por adoção aumentou em 50%, mostrando a importância de adotar ao invés de comprar.

Atualmente, há 172 mil animais em ONGs e Institutos, sendo 96% cães e 4% gatos, de acordo com dados do Instituto Pet Brasil. Geralmente, os locais conseguem alojar de 50 até 500 animais, proporcionando os cuidados necessários.

E é por isso que há tanto investimento neste mercado, pois há muitos bichinhos necessitando de cuidados no País. Muitos estão sendo adotados, outros estão sob cuidados de ONGs e institutos, esperando por adoção.

Por Lara Hinkel

Leia também:

Saúde dos cabelos: confira nova aposta

Teve seu WhatsApp clonado? Saiba como evitar ataques 

Beleza digital: paranoia ou bem-estar?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Últimas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments