Mundo Ela

Como precificar corretamente o seu doce?

Precificar

Muito se fala em precificar no mundo da confeitaria, muitas fórmulas e teorias, mas na prática vemos que nem todas as confeiteiras (em sua grande maioria) entendem realmente o que é e sua importância.

Precificar é uma chave importante em todo e qualquer negócio, pois é através dela que identificamos o custo, o rendimento, o que se pode ganhar e o que efetivamente lucramos ao final.

No ramo de alimentação a precificação é mais complexa por se tratar de vários insumos e de várias receitas para formar um único item final.

Apesar do trabalho, ela é a alma do negócio. Afinal de contas de nada adianta nos matar de trabalhar em troco de nada. Precisamos ver nossos resultados e crescimento para irmos adiante.

Ser confeiteira não é fazer “só um bolinho”. É um trabalho artesanal que deve ser valorizado e, se você não se valorizar, eu sinto informar que ninguém o fará. Seja firme com você e com o seu negócio, foque no melhor e construa tijolinho por tijolinho.

Como fazer?

Para iniciar a precificação é necessária a elaboração da ficha técnica de cada item, feita, possivelmente, ao lado do fogão, com as medidas exatas obtidas por meio de pesagem na balança.

Somente através da ficha técnica bem elaborada é possível identificar os custos exatos de cada receita e seu rendimento.

Aqui no ateliê temos todas as receitas especificadas em fichas técnicas distintas que são atualizadas de 6 em 6 meses para garantir maior exatidão com os valores praticados no mercado.

As nossas são feitas no computador, pelo Excel, e contém itens básicos, como a descrição do nome da receita, rendimento, tempo de preparo, insumos, quantidade usada, valor unitário e o acréscimo de 10% ao final para margem de segurança.

Na Internet temos vários modelinhos de planilhas para adaptar e construir as fichas técnicas, use e abuse das pesquisas e selecione aquela que mais se adapta à sua realidade.

Quem não dispõe de computador pode e deve fazer a mão, em um caderno ou em folhas individuais. O importante é sair do zero.

Multiplica por 3

Muito se diz sobre a regra do “multiplica por 3”, que seria apurar o custo da receita e multiplicar por 3 para saber por quanto você deve vender aquele item.

Não que esteja errada, mas essa regra não é utilizada por mim, pois há muitos itens a serem considerados além dos insumos.

Você precisa saber precificar sua hora de trabalho, o quanto cada item pagará pela luz, água, internet, celular, manutenção, transporte, caixa, pró-labore e o lucro, por exemplo.

Como o assunto é complexo, sugerimos que você se aprofunde, conheça inicialmente o seu produto e estude estratégias para que você possa aliar qualidade e ganhos maiores para poder voar mais alto.

Comece e recomece, cuide do seu negócio em detalhes para se estruturar, ter base sólida e conseguir viver de doce.

Conte comigo, um abraço, Mari.

Colunista Mariana Prates
@maripratescakes

Siga nosso Instagram!
@sigamundoela

Leia também:

Uso excessivo das telas durante a pandemia prejudica a visão

Famosas com mais de 50 anos revelam quais são os truques de beleza

Mulheres com deficiência ganham menos do que os homens


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Últimas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments