Mundo Ela

Espirrei e fiz xixi

Xixi

Foto de Anete Lusina no Pexels 

Espirrou ou tossiu e perdeu xixi? Não é uma situação nada agradável!

Quem já passou por isso?

Mas, saiba que essa situação é um tanto quanto comum entre as mulheres.

Essa perda de urina, de maneira involuntária quando tossimos, espirramos ou mesmo carregamos peso não é normal e se chama incontinência urinária por esforço.

Então, para entendermos porque isso acontece precisamos entender um pouco sobre o assoalho pélvico.

Assim, localizado entre o ânus e genitais, o assoalho pélvico é formado por músculos, ligamentos e fáscias que, nas mulheres, recobrem e protegem internamente a vagina.

Podemos dizer em analogia que, é uma rede de sustentação, como se fosse um piso mesmo. Essa área é coberta por musculatura lisa de movimento voluntário, ou seja, você consegue contrair e relaxar por vontade própria.

Sendo assim, essa musculatura como outras do nosso corpo como o bíceps ou tríceps precisa ser fortalecida, ou seja, malhada!

No entanto, você sabe porquê?

Assim como, o assoalho pélvico acomoda vários órgãos como bexiga, útero e intestinos também sofre uma extrema “pressão vinda de todo o abdômen.

Foto de Anete Lusina no Pexels

Por exemplo, quando levantamos um objeto muito pesado no nosso dia a dia ou mesmo na academia, tossimos ou espirramos mesmo sem perceber, prendemos o ar na tentativa de “aumentar a força” para darmos conta daquela tarefa.

Porém, essa ação leva a um enorme aumento de pressão na parede abdominal e consequentemente no assoalho pélvico.

Dito isso, concluímos que, o aumento da pressão intra-abdominal associado á fraqueza dos músculos pélvicos desencadeia a perda involuntária do xixi, ou seja, a famosa incontinência urinária.

Alguns fatores, contribuem para que isso aconteça, como atividade física com sobrecarga muito elevada, gestação (independente da via de parto) e idade.

Dessa forma, precisamos nos atentar aos mínimos sintomas, pois essa incontinência pode se agravar levando a incontinência urinária fecal e queda dos órgãos pélvicos.

Contudo, a boa notícia é que esse problema pode ser facilmente resolvido com fisioterapia pélvica, que é a primeira linha de tratamento da disfunção, obtendo resultados muitos satisfatórios.

Os exercícios e técnicas aplicadas pelo fisioterapeuta é como objetivo de fortalecer a musculatura e conscientizar a mulher de como executar as atividades físicas de forma que não prejudique sua função urinária.

E, além disso, também pode melhorar o desempenho sexual, muitas vezes prejudicado pela flacidez dos músculos dessa região.

Acima de tudo, a fisio pélvica te desperta para o autoconhecimento. Conhecer o seu corpo, saber do que ele precisa, é um passo fundamental para manutenção da saúde e da longevidade feliz!

Foto de Marta Wave no Pexels

Ou seja, a fisioterapia pélvica tem uma enormidade de benefícios para nós mulheres. Não sinta vergonha, ao menor sinal de desconforto procure um fisioterapeuta e faça uma consulta.

Mulher que se ama, se cuida!

Por Karina Barros
@karinafbarrosfisio

Leia também:

Iluminador na maquiagem, você sabe usar?

Prefeitura de Belo Horizonte amplia vacinação

Como ter um perfil poderoso no Instagram?





** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Últimas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments