Mundo Ela

WhatsApp recebe autorização do Banco Central para realizar transferências de dinheiro

O WhatsApp, aplicativo de troca de mensagens instantâneas, está se aperfeiçoando e aumentando a cada dia o seu leque de funcionalidades.

Antes, utilizado apenas para troca de mensagens passou a fazer chamadas de vídeo e criou até a opção personalizada para empresas.

Agora, a novidade é na área financeira. Isso mesmo: o WhatsApp foi autorizado pelo Banco Central (BC), no último dia 30 de março, a permitir transferências bancárias no aplicativo.

Você deve estar se perguntando como isso vai funcionar.

É simples.

Dentro da própria plataforma os usuários vão conseguir transferir valores entre suas contas bancárias.

Para isso, a credencial a ser utilizada no aplicativo é o número do cartão de débito ou pré-pago de bandeiras Visa ou MasterCard. A tarifa cobrada pela transação bancária será definida pelo aplicativo.

A alternativa é uma forma de realizar transações financeiras de forma menos burocrática.

A autorização do Banco Central foi dada às operadoras Visa e Mastercard, parceiras do WhatsApp, e ao Facebook, empresa dona do aplicativo de mensagens.

Em breve a atualização que permite essa funcionalidade estará disponível nas lojas de aplicativo Google Play e Apple Store.

A nova ferramenta é um marco de inovação e tecnologia que alia a rede social às finanças.

Essa rápida evolução das funcionalidades online dos aplicativos é uma característica que tem marcado o universo digital, facilitando o acesso à informação, além de lançar novas ferramentas que facilitam o dia a dia dos usuários.

Colunista Rafael Angeli
@angelibh

Leia também:

Como chegamos até a moda do conforto?

Dica da nutri: Como a alimentação influencia no aparecimento da acne?

Delineado de Gatinho, o queridinho de sempre e agora mais vivo do que nunca

Empresas que pagarem salários desiguais a mulheres que exercem mesma função que homens poderão ser multadas

A Crise Atacou? Dicas essenciais para transformar o limão em uma bela limonada

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Últimas